domingo, 30 de setembro de 2018

Para entender o pensamento de direita

Diz a sabedoria que antes de criticar os adversários, é necessário entendê-los primeiro, para que possam ser derrubados de forma mais lógica e justa. Por isso decidi, como um esquerdista convicto, listar alguns pontos existentes no pensamento de direita para que possamos derribar seus argumentos insensatos e insensíveis que comprovam a ganância e o preconceito tradicionais do pensamento de direita. vamos lá.

VENCEDORES E PERDEDORES - Para direitistas, existem dois tipos de pessoas, os prósperos (homens de bem) e os pobres. A sobrevivência é tratada como uma competição (Darwinismo social) e os primeiros, considerados vencedores, cujas conquistas (privilégios), mesmo exageradas, devem ser respeitadas e protegidas. os pobres, por sua vez são considerados perdedores e devem se virar se quiserem sair de sua condição indigna.

CORRUPÇÃO - A corrupção é considerado o maior mal do país e é só praticada por políticos ou quem se envolve com eles. Para direitistas, a corrupção consiste no desvio de dinheiro recebido através de impostos que acaba nas contas particulares de políticos, prejudicando os serviços públicos estranhamente não utilizados pelos direitistas. Aliás, os que mais reclamam da corrupção são justamente os que não são prejudicados por ela, pessoas bem de vida que nunca precisam de qualquer tipo de ajuda.

DESIGUALDADE NÃO É PROBLEMA, É JUSTIÇA - Por acreditarem num sistema de vencedores e vencidos, é natural que direitistas considerem a má distribuição de renda e direitos justa. Quem tem mais é vencedor de uma competição e suas rendas, bens e direitos são prêmios por - supostamente - terem lutado e vencido na competição da vida. É o ponto básico do pensamento conservador e quase todo o pensamento de direita se baseia nesta tese.

MORAL ACIMA DE TUDO, MESMO QUE ESTRAGUE TUDO - Direitistas são moralistas e a preocupação com a corrupção que não os prejudica pode ser explicada pela colocação da moral acima das coisas. Direitistas gostam de separar as pessoas em "boas" (que atendem as expectativas dos direitistas) e "más" (as que vão contra o "mundo correto" acreditado pelos direitistas) e definem o que é correto ou não com base em conceitos morais e não na capacidade de gerar ou não danos reais. Para direitistas, a realidade pode até piorar, desde que conceitos morais sejam rigorosamente respeitados.

SERES HUMANOS ATRAPALHAM - Esta frase explica a falta de altruísmo dos direitistas, que desejam ver eliminados da convivência com pessoas que não correspondem ás convicções pessoais dos direitistas. Apesar do fascismo ser a facção direitista mais explicita em relação a eliminação de pessoas. o neoliberalismo também pretende eliminar pessoas, de forma mais sutil, através da miséria, das doenças e da violência.

CARIDADE, COMENTE PALIATIVA - Direitistas adoram posar de bondosos. Sabem que isso atrai confiança alheia e favorece a satisfação de interesses. Mesmo sádicos e ganancioso, os direitistas devem de vez em quando ajudar carentes, não para resolver os problemas destes, mas para parecer bons diante de uma sociedade moralista. Mas não pode ser uma caridade plena, que atrapalhe os privilégios dos mais ricos. A caridade direitista deve ser algo que "conforte os aflitos sem afligir os confortáveis". Apenas um consolo para que carentes continuem sobrevivendo, mesmo sem dignidade.

POBRES QUE SE VIREM - Fora da caridade paliativa citada acima, nenhum pobre ou excluído merece receber ajuda. Se quiser salário digno ou vaga na faculdade, deve sofrer bastante para depois usufruir do benefício. Direitistas são entusiastas do "no pain, no gain" (para os outros, para si, trapaceiam sem a menor vergonha) e isso explica a aversão das forças conservadoras a projetos sociais, considerados um " alto gasto desnecessário".

RESPEITO ÀS INSTITUIÇÕES - Direitistas não gostam de pessoas. Prioritariamente, preferem bens, valores e instituições, colocados acima de qualquer ser humano. Se pessoas atrapalham os planos de aumento de renda, direitos e poder de direitistas, deverão ser eliminadas. Para isso, a direita garante respeito ao empresariado, às forças armadas, às seitas religiosas (principalmente as cristãs) ou quaisquer outras que protejam os interesses das elites e da classe média que as bejula.

AMERICA FIRST - Para direitistas, a sua verdadeira pátria é o país conhecido como Estados Unidos. Até os costumes dos direitistas são fiéis ao chamado "american way of life".  Direitistas gostam de fingir que são patriotas em relação ao Brasil, por motivos sociais, para angariar simpatia e "ficar bem na foto". Mas nas horas livres gostam mesmo é de se sentir o Pateta e ir à Disney, sua verdadeira pátria.

ESQUERDA BANDIDA - As forças progressistas que representam a esquerda atrapalham os interesses das classes dominantes por serem altruístas, com desejo de fazer bem a um maior número de pessoas. Isso exige que as elites abram mão dos seus excessos. Como as elites são gananciosas, querendo tudo para si, se sentem incomodadas pelas esquerdas e decidiram difamá-las, para impedir a chegada ao poder. Criminalizar as esquerdas foi uma solução encontrada para permitir que chegue ao poder apenas as forças que agem a favor das elites, preservando os privilégios.

sábado, 29 de setembro de 2018

O fraco esquerdismo do Rio de Janeiro

Embora esquerdistas de todo o país ingenuamente pensem que o Rio de Janeiro é o estado mais progressista do país, baseando no mito consagrado do "bom malandro" (estereótipo que transmite valores ligados à alegria e à modernidade), nota-se um conservadorismo doentio que fortalece a direita local e enfraquece a esquerda carioca, já tradicionalmente fraca.

O Rio de Janeiro há muitos anos tem sido um laboratório de uma nova forma de coronelismo. Tirando Brizola, que para a equipe deste blog é o maior esquerdista do Brasil, o estado sempre esteve refém de neo-coronéis que sempre procuravam mergulhar o estado em um conservadorismo retrógrado. 

Algo que deu muito certo, pois apesar da fama de "moderno" e "inteligente", que faz com que cariocas sejam o povo mais culturalmente influente em todo o Brasil, cariocas são muito conservadores, extremamente fiéis com as suas tradições, padronizados nos costumes e avessos (até fóbicos) a grandes transformações.

Tentativa fracassada de fortalecer as esquerdas

Um cenário como este é infértil para qualquer tendência realmente progressista. Apesar da tentativa brizolista na década de 80, o progressismo carioca não se estabilizou. A tendência conservadora do povo carioca falou alto e desde os anos 90 vemos uma nova dinastia de neo-coronéis no Rio, que poderíamos chamar pelo interessante nome de Dinastia Maia.

É mais do que claro que quem deu o golpe de 2016 foi o Rio de Janeiro, talvez saudoso de ser novamente a capital política do país (já é a capital cultural do Brasil, enquanto São Paulo é a capital econômica), pois as características do golpe casam bem com a personalidade típica do povo carioca.

Um povo infelizmente arrogante, agressivo, que gosta de impor seu ponto de vista e repara defeitos nos outros, sobretudo quem se difere da maioria. Cobra dos outros a adesão a regras sociais a ponto de humilhar através do bullying. Pesquisas comprovaram que o bullying e o ciberbullying são frequentes no RJ. 

Não por acaso Bolsonaro, candidato dos praticantes de bullying, segue forte no estado do Rio de Janeiro. Caso ganhe, teremos um representante dos sociopatas na residência. Os praticantes de bullying se sentirão livres para humilhar e agredir os outros, que não cumprirem as expectativas de quem gosta de impor suas convicções.

Como é que a esquerda pode crescer num ambiente como este? O PT é claramente fraco no Rio de Janeiro, apesar do destaque nítido de Lindberg Farias e Wadih Damous, que sozinhos lutam pelo crescimento do partido no estado. 

Curioso que os destaques do partido no RJ são dois forasteiros, o paraibano Lindberg (cujo sotaque nordestino é nítido) e a intelectual gaúcha Márcia Tiburi. Tiburi promete repetir Brizola como um gaúcho de esquerda governando o RJ? Interessante a esquerda carioca ser tão fraca a ponto de importarem esquerdistas para o estado. 

Esquerda que age como direita e o crescimento de Bolsonaro

Na verdade, a esquerda mais forte no RJ nem é o PT e sim o PSOL, que tem características estranhas por ser um partido não da classe trabalhadora, mas de classe média, representando os interesses de professores universitários com relativo conforto na vida. 

Mesmo simpático à causas trabalhistas, o PSOL o faz mais por altruísmo, pois não possui experiência própria da classe, o que influencia na sua ideologia um pouco mais a direita do que a esquerda tradicional. É este o maior partido de esquerda do estado onde a esquerda tem se mostrado tradicionalmente fraca, em coerência com o conservadorismo de seu povo.

Por ser um partido de classe média, o PSOL se rende a alguns direitismos, não atrai ódio dos conservadores e possui uma relação respeitosa com a grande mídia, além de ser avessa a grandes transformações sociais, preferindo lutar pelas causas identitárias do que lutar bravamente pelo fim das desigualdades econômicas, causa originária de quase todos os problemas do Brasil.

Mas nem o PSOL está bem no RJ. Os três primeiros colocados para o governo do estado são de direita, Eduardo Paes (que retornou aos braços de seu paí político César Maia, apesar da boa imagem que Paes tem perante os esquerdistas), Anthony Garotinho em segundo e o ex-jogador Romário (Futebol? Tinha que ser!) em terceiro. 

A esquerda segue mal nas pesquisas do estado que vai eleger Bolsonaro para Presidente da República. O estado que mais apoiou o golpe e cujas manifestações de direita atraem um grande número de pessoas até hoje, quando o golpe está e decadência, demonstra ser fiel ao conservadorismo para o qual tem clara vocação.

Esquerda fraca e Bolsonaro favorito: bons sinais do conservadorismo carioca, já observado em outras situações no cotidiano de quem vive no estado do Rio de Janeiro.

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Rock de má qualidade é considerado música boa por brasileiros

Os anos 90 forçaram uma verdadeira decadência cultural. Com a queda do muro de Berlim, os empresários se apressaram em alienar as pessoas para aproveitar a alta do sistema Capitalista e impedir qualquer forma de subversão. Com isso, os jovens aprenderam a gostar da chamada "música brega" ou "música de povão".

Com isso, a decadência foi se alastrando também para outros gêneros, favorecendo o surgimento de uma MPB insossa e de um rock estereotipado e metido a engraçadinho.

Para muitos, basta não ser ruim para ser o melhor

Mas com o fortalecimento e a consequente hegemonia das  várias tendências da música brega (axé, pagode, "funk", "sertanejo", além do próprio brega), tudo que fosse diferente disso era considerado "de qualidade", se baseando naquela ditado que diz que "quem tem um olho é rei". Não ser populacho passou a ser uma qualidade que para muitos, compensa a ausência de outras virtudes. Os artistas desde então até agora passaram a ser valorizados não por serem bons, mas por não serem ruins.

E essa mediocrização acabou por contaminar também o rock, que estranhamente é protegido pelo seu rótulo. Para quase todos, rock é sinônimo de música de qualidade e rock ruimsoa impossível para quem acredita nesta tese.

A palavra rock é tão estigmatizada como "música boa" que na época da morte de Michael Jackson, em um fórum de internet, os fãs deste se apressaram em tratá-lo como se ele fosse o "mártir do rock", mesmo sendo ele de outro gênero musical (soul music) e gravado apenas três roquinhos durante toda a sua carreira. Tentei corrigir a informação no tal fórum e os fãs se irritaram, como se dissociar o cantor do rótulo que não lhe pertencia significasse uma espécie de xingamento, o que não faz nenhum sentido.

Rock ruim é protegido pelo rótulo

Com a mercantilização da música em todo o mundo, desde os anos 90, todos os gêneros musicais sempre tiveram representantes que fazem música de má qualidade. Há gêneros que só tem intérpretes ruins (como as citadas tendências do brega), mas não há gênero que só tenha grandes artistas. Até mesmo os sofisticados jazz e erudito tem seus picaretas sem talento e sem vocação musical que só pensam em ganhar dinheiro enganando seus fãs.

E o rock, também teve desde o início, sempre algum embuste enfiado no meio de tantas coisas boas. E ainda muita coisa ruim é vendida sob o rótulo de "rock" até hoje. E não pensem que é o Restart, este por consenso rotulado como música infantil, graças a rejeição coletiva (e modista, vale destacar) contra o grupo de musiquinhas tolas.

Só que estas tendências ruins do rock, protegidas pelo rótulo, acabaram ganhando um postiço prestígio cultural que os transformou em gênios da música assim, gratuitamente, sem o esforço que os verdadeiros mestres tiveram no intuito de evoluir o rock.

Grupos como Mamonas Assassinas, Charlie Brown Jr., Detonautas Roque Clube (meio futebolístico este nome, não acham?), CPM 22 e similares, surgidos na onda da mediocrização do rock, hoje são tidos como totens da "boa música". E qualquer crítica a eles, por mais respeitosa que seja, gara uma revolta entre os defensores. Rock ruim passou a ser bom porque é rock. Se é rock, é bom.

Até mesmo a banda americana de rock estereotipado, Guns'n'Roses, é tratada como "gênios absolutos do rock", pelos seus fãs brasileiros. Nos EUA eles não são levados a sério, mas no Brasil são tratados como se fossem intelectuais da música. Mas um cantor brega teve a sensatez de alertar sobre aquilo que eu observei faz tempo, dizendo que as letras do G'n'R parecem arrocha. Uma verdade que vai doer mais nos fãs do canastrão Axl Rose do que em mim.

Até o outrora ridicularizado metal farofa (de onde veio o G'n'R) ganha hoje um respeito que não lhe é merecido, visto os defeitos evidentes na música e na atitude dos nomes ligados ao gênero.

Rock para diversão não deveria ser levado a sério. Mas é levado a sério

Mal sabem eles que roqueirinhos como estes, fazem musica só para se divertir e ganhar dinheiro e que a evolução cultural poderia ocorrer muito bem sem a presença desses roquinhos fajutos feitos por verdadeiros canastrões metidos a geniais.

As pessoas perderam a noção de qualidade musical, já que a mídia despeja uma avalanche de ruindade que piora a cada dia. E com cada ruindade que aparece, o ruim do passado passa a ser visto como "de qualidade". E somente isso explica porque todo mundo vê a salvação da música em ídolos medíocres que, só por não serem tão ruins como as novidades dos últimos dias, são excessivamente superestimados, alçados a condição de "grandes mestres da cultura".

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Recado para os coxinhas de direita

Os problemas que os governos petistas tem causado por não combater o domínio plutocrata tem favorecido uma onda de ódio não apenas a a petistas como à esquerda em geral. E este ódio irresponsável vem gerando um festival de asneiras dignas de quem está com raiva e por isso não consegue raciocinar direito. Isso é algo que vem crescendo feito avalanche nas redes sociais, sobretudo no Facebook.

Os anti-esquerdistas, com total desconhecimento histórico, têm lançado mão de muita teoria conspiratória na tentativa de enfraquecer os ideais de esquerda e fortalecer o Capitalismo, estranhamente achando justo que o bem estar e a felicidade sejam reservados para uma escassa minoria de sortudos.

Fico imaginando se as pessoas que defendem os ideais de direita mantivessem seu ponto de vista estando em uma miséria plena, sem o apoio de seus tão idolatrados capitalistas, muito mais interessados em salvar empresas e bens materiais do que garantir a sobrevivência de pessoas.

Até porque o principal lema dos capitalistas é "se vire". Pimenta ardendo em olhos alheios sempre parece agradável para privilegiados...





sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Protestos contra Dilma não eram protestos contra corrupção

Em 2016, houve uma imensa manifestação pseudo-popular - mas estranhamente profissional demais para ser espontânea, para que um bando de ladrões capitalistas pudesse tomar o poder e arrasar com o país todo, em favor de suas rendas pessoais. Na época, muita gente acreditou nesta manifestação, achando que o governo a se instalar eram de "notáveis", supostamente honestos, competentes e altruístas.

Mas dois anos depois, tudo ruiu e descobrimos que o governo anterior de Dilma é que era um governo honesto e competente, que foi apenas sabotado pelas forças conservadoras lideradas pelo evangélico carioca Eduardo Cunha. Mesmo assim, há muita gente desinformada, confiante na grande mídia e que pensa que está tudo normal, desejando inclusiva a continuidade das medidas destruidoras de Temer, colocado no poder pelo seu amigão Eduardo Cunha.

Em homenagem a esta gente desinformada muito mais interessada em expulsar um desafeto do que acabar com a corrupção (que nunca vai acabar enquanto na melhorar a distribuição de renda para toda a sociedade), colocamos os melhores memes anti-capitalistas para você colocar em seu Facebook. Se quer um mundo justo, publique em seu feed! Estará contribuindo para a melhoria real da sociedade brasileira.
















quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Como aqueles que só se informam pela grande mídia enxergam o Brasil pós-golpe

Estamos bem longe da verdadeira democracia da mídia. Embora adore bater no peito e se auto-afirmar como "democrática", a nossa mídia oficial - TV, revistas, jornais, rádio e sites ligados a estes - é bastante tendenciosa. Ela tem lado político-econômico e interesses de donos e patrocinadores a satisfazer.

Mas quem não tem outra opção, acaba refém dessa mídia manipuladora e que não apenas mente como distorce e omite. Faz isso de maneira bem sutil, de uma forma a não ser percebida pela maioria dos brasileiros, de nível intelectual mediano. 

Somente pessoas com um bom nível intelectual percebe estas sutis armadilhas lançadas pela mídia corporativa, que tem o objetivo de fazer a maioria da população a concordar com o ponto de vista dos donos e patrocinadores dos meios de comunicação.

Mas para quem não tem acesso a mídia, o mundo real é bastante distorcido, embora não perceba isso pois tendo a mídia como única fonte de informação, somente o que ela diz parece verdadeiro. Todos os conceitos a respeito da realidade são moldados de acordo com o que e vinculado nos meios de comunicação oficiais, ainda considerados confiáveis por muitos.

Imaginei o que passa na cabeça de quem se informa apenas desta forma a respeito do que aconteceu no Brasil desde 2016. Faço aqui uma lista do que representa o golpe segundo o ponto de vista da mídia oficial para entender o que pensa direitistas e leigos em políticas, todos boiando em um mundo paralelo, oposto ao mundo real. 

Vejam como pensa quem se limita a se informar pela grande mídia, lembrando que discordamos do que está escrito aqui embaixo.

- Em 2016, uma corrupta desonesta foi deposta por "pedaladas fiscais". Tudo foi feito de acordo com a lei e o vice-presidente tomou posse no lugar.

- As reformas de Temer e sua equipe são necessárias e modernizadoras, feitas para beneficiar os brasileiros. Com o tempo, a equipe se mostrou incompetente e trapalhona, causando o fracasso dos projetos que, no inicio, eram bem intencionados.

- A reforma trabalhista não e tão ruim assim. Qualquer coisa é só conversar calmamente com o patrão que o salário aumenta. Segundo a mídia, a reforma é um avançado progresso em benefício do trabalhador, que pode virar "empreendedor" se quiser.

- O Brasil não precisa de empresas públicas. A Petrobrás é um sugador de dinheiro público. O Brasil vai se desenvolver com a entrada de empresas estrangeiras, interessadas em desenvolver o nosso país, já que vivemos num mundo globalizado, sem fronteiras.

- Lula foi preso justamente, por ter recebido dinheiro ilícito da Petrobrás. O ex-presidente enriqueceu através do desvio de impostos pagos pela população, depositados em suas contas pessoais.

- O desastre do governo Temer se deu apenas pelo envolvimento em corrupção e pela incompetência de sua equipe. Os EUA não interferem no país e as medidas neoliberais não tem objetivos gananciosos, pois a elite brasileira é responsável, inteligente e desenvolvimentista.

- A grande mídia nunca mente e está do lado do povo, senso a sua porta-voz. As informações mostradas são verdadeiras e as opiniões de jornalistas estão sempre corretas.

- O Poder Judiciário era exemplar, mas se uniu aos políticos, os únicos corruptos do país, e assim, juízes, promotores e  similares aprenderam as ser corrutos como esses.

- A corrupção é o maior problema do país. Só a eliminação da corrupção - resultante do desvio de impostos pagos pelo cidadão, segundo a mídia, basta para o Brasil prosperar.

- Somente militares, uma instituição "sem defeitos" teria condições de colocar ordem no Brasil. A violência da polícia e das forças armadas seria um mal necessário para limpar a corrupção.

- Partidos comprometidos com os pobres e com o progresso do Brasil nunca prestam. Caridade deve ser feita apenas por ONGs, grupos religiosos e empresários "responsáveis". Ajuda aos pobres e excluídos deve ser limitada a medidas como, por exemplo, o Criança Esperança da Rede Globo e pela caridade feita por figuras como os "espíritas" brasileiros.

- Não existe má distribuição de renda. Esta distribuição é sempre justa, de acordo com a "importância" (mérito) de cada trabalho. Não há luta de classes e os mais ricos são amigos dos pobres, estando sempre dispostos a ajudar. Trabalhando muito e poupando gastos, os pobres poderão se tornar ricos, se quiserem.

- A crise atual é resultante apenas da corrupção e da incompetência. Os EUA não interferem no Brasil, respeitando a nossa soberania.

- Somente a direita, auto-rotulada de "centro", pode salvar o país, ajudando os empresários (o "mercado")  para que estes alavanquem o desenvolvimento do Brasil

- As instituições funcionam de acordo com a lei, respeitando a Constituição. A democracia brasileira não foi violada e tudo é decidido a favor da população. 

Bom, esta é a visão de quem se limita a se informar pela mídia corporativa. Se não concorda, mude e amplie suas fontes de informação.