segunda-feira, 30 de maio de 2011

Cientistas acham fóssil de criatura estranha

Foram encontrados recentemente no Marrocos, por cientistas americanos, fósseis de uma criatura nunca vista no mundo. Tem o aspecto de um crustáceo e mede cerca de 1 metro, maior que animais similares do mesmo período de quase 500 milhões de anos atrás.

O animal, que recebeu o nome de Anomalocaris, chama a atenção pelos dois membros que saiam de sua boca, cheios de espinhos e que provavelmente serviam para pegar alimentos. Tinham dentes afiados para romper carcaças duras de crustáceos menores que serviam de alimentos. Acredita-se que o corpo segmentado facilitava a sua respiração.

Esse fóssil levou aos cientistas a descoberta de que esse tipo de animal dominou os mares mais cedo do que se pensava.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Especialista diz que lixo é matéria-prima reaproveitável

OBS: A reciclagem de lixo é uma prova de bom aproveitamento de material. Além de diminuir a poluição, a sua reutilização responsável barateia custos e dá emprego para muita gente, sobretudo aos catadores de lixo, que tiram o sustento do dinheiro que recebem com a venda de material às indústrias de reciclagem. Enfim, todos saem ganhando com a reciclagem.

Especialista diz que lixo é matéria-prima reaproveitável

08/05/2011 - 14h34 - Agência Brasil - Extraído do Portal Terra

A reciclagem de resíduos sólidos movimenta cerca de R$ 12 bilhões por ano. Tudo que é descartado pode se transformar em matéria-prima para a indústria por meio de uma correta coleta seletiva do lixo. Para o coordenador do Núcleo de Educação Ambiental do Prevfogo do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Genebaldo Freire, a coleta seletiva pressupõe um planejamento rigoroso e o contato com as cooperativas de catadores, para que todos saibam o que será aproveitado e qual será o encaminhamento adequado para vidros, pilhas, baterias, plástico e metal.

"Em muitos lugares o processo está acontecendo de uma forma natural, tanto que não usamos mais o termo lixo, porque é sinônimo do que não presta. Usamos resíduos sólidos, porque significa matéria-prima a ser reaproveitada. Lixo não existe."

O interesse pela reciclagem de pneus e eletroetrônicos tem aumentado no País. O tempo médio de utilização de computadores e impressoras, por exemplo, é cinco anos. Para as geladeiras e os fogões, algumas empresas já se especializam na coleta, desmotagem e encaminhamento para as usinas de reciclagem.

A coordenadora de Consumo Sustentável do Ministério do Meio Ambiente, Fernanda Daltro, diz que este é um dos pontos que está sendo discutido com os setores envolvidos. "Nós temos alguns programas voluntários, como o das operadoras de celulares. Estamos pensando em mecanismos de comunicação para o consumidor saber onde deve devolver os aparelhos e equipamentos."

Para Severino Lima Júnior, do Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis, é possível ganhar dinheiro com o material reciclado embora existam alguns problemas. "As cooperativas bem organizadas conseguem um bom preço. No Nordeste, por exemplo, tem poucas indústrias e, por isso, a garrafa PET é vendida a R$ 0,80. Em São Paulo o preço é R$ 1,30."

Um estudo feito pelo Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre) mostra que o ganho médio do catador é 1,5 salário mínimo nas regiões Sudeste e Sul e um salário mínimo nas demais regiões.

Joel Carneiro é catador há 20 anos e trabalha no Aterro Sanitário de Brasília. Segundo ele, dá para viver de reciclagem. Carneiro também faz parte de uma cooperativa, o que tem facilitado e proporcionado parcerias com o empresariado.

Atualmente é possível transformar até o resíduo hospitalar. O Hospital Instituto de Medicina e Cirurgia do Paraná instalou um equipamento, o Newster 10, que trata os resíduos através de trituração e esterilização. Depois de meia hora em funcionamento, e de um resfriamento feito com a ajuda de água, os resíduos saem prontos para voltar à natureza sem comprometer o meio ambiente.

"Estamos facilitando a estrutura hospitalar", explica o médico José Lazarotto de Mello e Souza. A máquina transforma em lixo comum os materiais para diálise, como placas e tubos, e até mesmo os de laboratório, como caixas para cultura de micróbios.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

A consagração do falso nerd pela mídia brasileira

Já falei diversas vezes que os brasileiros não entenderam a ideologia nerd difundida nos EUA. A ideologia chegou aqui e foi logo sendo distorcida, com características bastante diferentes e com aspectos inclusive opostos aos dos nerds ianques.

E não se trata de "adaptação à cultura brasileira", já que a visão brasileira do nerd nada tem de abrasileiramento, além de tomar como modelo um filme ianque: Hangover, conhecido aqui como "Se beber, não case", que nos EUA nada tem a ver com a ideologia nerd e sim com a retomada juvenil do machismo, em moda no cinema de lá.

A estigmatização do nerd no Brasil, acredita-se, se deve por alguns motivos:

- o nerd original é associado a tecnologia, dando uma força positiva ao rótulo; com isso todos querem ter o rótulo, para serem incluídos no "universo tecnológico";
- a sociedade brasileira, como em qualquer sociedade latina, reprova o macho fracote. Como o nerd ianque é fracote, houve a necessidade de criar outros estereótipos de nerd para tentar dissociar a ideia de fracote, fracassado e não-social.

Ninguém quer assumir um rótulo que está na moda se ele está ligado a fatores depreciantes. Com isso, no Brasil, apareceu a necessidade de criar um novo estereótipo do nerd que tenha eliminado os defeitos classicamente associados a ele, mas mantendo a fama de desleixado.

Então, saem os óculos e o aparelho dentário e entram as barbas (parece coisa de muçulmano - nerd agora tem que ter barba). Sai o rock alternativo e entra o metal-farofa. Sai as comédias juvenis e entra os filmes de pancadaria. sai o toddinho e entra a boa e velha cerveja (tradiocionalmente consumida pelos anti-nerds). Sai a solidão e entra o namoro bem sucedido com mulheres intelectualizadas.

Bingo! E aí surge o nerd brasileiro, "limpo de todo e qualquer defeito do nerd original. Um cara totalmente pronto para a vida social plena, que só difere do homem comum por ficar algumas horas a mais no computador. E só.

E com isso, mantem os verdadeiros nerds na exclusão social, sem direito sequer a ter um rótulo, já que isso poderia gerar união entre a citada classe de excluídos. Isso também ajuda os "nerds" brasileiros a passarem a perna nos nerds tradicionais, já que aproveitaram as situações em que era necessária a presença dos verdadeiro nerds, tomando o lugar destes.

Aproveito para criar o rótulo aos falsos nerds criados no Brasil, baseando-se em seu perfil: Judão Cervejão. O rótulo se dá por causa dos sites brasileiros que se auto-rotulam de nerd (como o Judão, o Jovem Nerd, etc.), difundindo uma imagem errada da tribo e das propagandas de cerveja imbecis, que mostram também supostos nerds.

E com isso a tradição excludente da sociedade brasileira se mantém, tranquila por ver os verdadeiros excluídos a margem da sociedade, ao mesmo tempo que mascara a justiça social dando benefícios a falsos excluídos de todos os tipos, dando a ilusão que o povo brasileiro é bom e justo.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Dia do azar não existe

Hoje é sexta-feira 13. Culturalmente, é considerados por muito como dia do azar, dia em que as coisas dão errado. Gozado, mas as piores coisas que aconteceram na minha vida, nunca aconteceram numa sexta-feira 13. Aliás todas as sextas-feiras 13 para mim foram no mínimo tranquilas.

É uma bobagem acreditar que algo vai dar errado neste dia. As coisas dão errado porque somos irresponsáveis e não pensamos antes de agir. Acreditamos em convicções estereotipadas e fazemos tudo seguindo a "orientação" destas convicções. Aí, o fracasso, resultado da relação causa/efeito de nossos atos, acaba acontecendo.

Portando hoje, vamos fazer deste dia o melhor possível, pensando antes de agir e vivendo com alegria, sendo simpático a tudo e a todos.

Pense no dia de hoje como dia da sorte e que as coisas vão dar certo. Se tomarmos uma atitude com responsabilidade e planejamento, com certeza nada de errado acontecerá.

E a má fama do número 13 desaparecerá da Terra.

Até porque 13, não passa de um mero número. E só.