sábado, 31 de outubro de 2009

Não é sertanejo mesmo. E é ruim pacas

Se não bastasse o tipo de som tipicamente breganejo-universotário das patricinhas Ana Elisa & Mariana, as duas ainda querem brincar de ser militantes tecnológicas, algo que nada, mas nada tem a ver com as raízes do campo. Mesmos as fazendas que possuem máquinas de tecnologia avançada estão mais para country-music do que para a autêntica moda-de-viola.

As dicas citadas neste cyber-panfleto são até corretas, mas se elas estão querendo ser a "voz do sertão" utilizaram a tática errada. Ouvi a música e é uma merda pura. Ruim de engolir. Medonho. Nem a beleza das duas consegue salvar a colossal ruindade. Lembra aqueles "cantores" de jingles do Silvio Santos (que já eram ruins de matar), só que cantando forró-brega. Direto para o lixo!!!

Sinceramente, essas patricinhas, bonitinhas, mas ordinárias estão querendo confundir as coisas. O que elas estão pensando em se associar com a tecnologia? Acham que associar com o mundo cibernético vai conseguir disfarçar a tosqueira? Porque não investiram em tecnologia para melhorar seu som? Até a mixagem é horrenda!

Não é sertão, não é universitário. Só brega mesmo. Cyber-brega, mas brega.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

G1 erra gênero musical de festival de moda



Ao anunciar a edição brasileira do festival de moda Fashion Rocks, o portal G1, das Organizações Globo, se refere a parte musical do evento como "festival de rock". Como, se na versão brasileira do evento não haverá nenhum roqueiro? Só nomes da black-music, do hip-hop e até a filha do breganejo Zezé di Camargo, que atende apenas pelo prosaico nome de Wanessa.

Tudo bem que em edições estrangeiras, vários roqueiros se apresentaram no evento. Mas o evento nada tem a ver com rock. O título do festival significa "A moda sacode", já que "rock" também significa "sacudir", "balançar" e também significa "rocha". É acima de tudo um evento de moda onde modelos desfilam com cantores e banda se apresentando ao vivo. Nem sei porque não incluiram algum sambista no evento.

É mais uma versão brasileira de um evento estrangeiro, já que o Brasil já desperta o interesse dos estrangeiros em setores ligados ao entretenimento. Enquanto isso, em setores sérios como educação, saúde, segurança, o país vive no mais tradicional abandono.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Olimpíada no Rio de Janeiro: Modalidades

Já que a Olim Piada acabou sendo mesmo no Rio, me lembrei que existem algumas modalidades "esportivas" que já estão prontinhas e que não precisam nem de infra-estrutura para serem praticadas. Está tudo pronto!

São modalidades que até mesmo o cidadão brasileiro comum já está preparado, pois ele já treina todos os dias com bravura e dedicação.

Vamos às novas modalidades:

- NATAÇÃO NO ESGOTO: Com a quantidade de valas de esgotos que temos em nossa cidade, e observando que boa parte dessas valas desemboca nas praias, é um esporte que pode ser praticado desde já e que não vai custar nadinha para a dupla dinâmica dos governos municipal e estadual.
- FUGA DE BALA PERDIDA: Conhecem aquele jogo de tiro ao álvo muito existentes em parques de diversões? Poisé. Imaginem no lugar dos patinhos e comecem a brincadeira, já que balas perdidas é o que mais há na Cidade Dispendiosa.
- CARREGAMENTO DE SACOLAS DE SUPERMERCADO: O povo sabe: é difícil carregar um monte de sacos para levar a comida para a casa. Já é difícil pagar e empacotar, imagine carregar. Ainda mais que muitos voltam para casa a pé ou em ônibus lotados.
- FULL FIGHTING BOXING: Ou simplesmente, porrada. Quem estava no meio do tumulto da Supervia ocorrido ontem sabe que "esporte" é esse. E salve-se quem puder!
- CAÇA AO MOSQUITO: Como o mosquito da dengue já virou cidadão carioca, vai ser fácil caçá-lo. Todo mundo com sua redinha!
- IDENTIFICAÇÃO DE ÔNIBUS: Além da pintura padronizada que deixou todos os ônibus de 50 empresas iguais, Paes mudou números, destinos, trajetos, pontos, empresas e agora pegar o ônibus certo ficou tão difícil quanto conquistar a medalha de ouro.
- A MARATONA STA CRUZ/CENTRO: Não é qualquer um que pode gastar as caríssimas passagens das linhas que ligam o bairro de Santa Cruz ao centro do Rio.
- ALPINISMO NOS MORROS CARIOCAS: Só tem que tomar cuidado com os tiroteios.
- "FUNK" CARIOCA: Poderia haver uma competição para quem aguenta mais tempo aquela merda que insistem em chamar de "cultura".

Foram as minhas sugestões. Quem tiver outras, é só escrever nos comentários. E uma boa Olim Piada para todos.